Topo
Blog do Brasilianismo

Blog do Brasilianismo

Em 5 anos, Lava Jato mudou, mas também afundou, a imagem do Brasil no mundo

Daniel Buarque

2018-03-20T19:06:29

18/03/2019 06h29

Ilustração publicada pelo jornal The Guardian sobre a Lava Jato como o 'maior escândalo de corrupção do mudo'

A operação Lava Jato, que completa cinco anos, tem uma relação complicada com a imagem internacional do Brasil. Por um lado, ela ajudou projetar ainda mais o país no resto do mundo e a criar no exterior a percepção de que o Brasil não poderia mais ser associado à ideia de impunidade para a corrupção –o que seria muito bom. Por outro lado, a dimensão da projeção reforçou a associação entre o país e os desvios na política, e passou a ser alvo de críticas por sua aparente politização e seu possível impacto sobre a estabilidade política.

"A Lava Jato implodiu a imagem de país sério do Brasil. Depois da Operação Lava Jato, a imagem internacional do Brasil foi ladeira abaixo".

A avaliação foi feita não por um ativista político brasileiro, mas por uma pesquisadora de um grande think tank americano, especialista em economia brasileira, em uma entrevista off the records concedida recentemente. Ela revela a inversão no papel da operação contra a corrupção, que começou sendo vista como uma mudança positiva no perfil do Brasil, mas que acabou tornando uma mancha na forma como o país é visto.

A pesquisadora explicou que o começo da Lava Jato foi elogiado no exterior. Iniciada em um momento em que a percepção do país ainda era muito positiva, ela criou a impressão de que tornaria a reputação do Brasil ainda melhor.

Isso tudo em um contexto de um período de euforia com crescimento e estabilidade econômica, a conquista do Grau de Investimento de agências de risco e a impressão de que o país seguia no rumo certo. Além de parecer um "país sério" por conta de reformas e instituição de comprometimento com a estabilidade macroeconômica, o Brasil ali parecia que seria também menos corrupto. A luta contra a corrupção representada pela operação ajudava até mesmo a projetar internacionalmente o soft power do Brasil.

Sérgio Moro lidera equipe de 'caça-corrupção' em capa de revista americana

O então juiz federal Sérgio Moro virou celebridade internacional, e chegou a ser retratado liderando uma equipe de caçadores de corruptos na capa de uma edição da revista norte-americana Americas Quartely. Moro e outros quatro investigadores da América Latina aparecem vestidos de "caça-fantasmas", em uma referência ao trabalho "histórico" que está sendo feito para combater a corrupção na região, segundo a publicação.

Com o tempo, entretanto, as coisas foram mudando. As avaliações internacionais que antes eram positivas começaram a apontar para a fragilidade das instituições brasileiras e os riscos trazidos pela operação. O jornal americano The New York Times, por exemplo, publicou uma longa análise apontando como a luta contra a corrupção ameaçava estabilidade do Brasil. Após anos de revelações e escândalos de corrupção a Lava Jato era vista também como uma ameaça que poderia "destruir o sistema político brasileiro", segundo uma análise publicada pela agência norte-americana de inteligência e geopolítica Stratfor.

A operação também passou de símbolo de seriedade na luta contra a corrupção a uma representação do quanto o país é corrupto de fato. O jornal britânico The Guardian publicou uma reportagem detalhada sobre a operação, chamada de "maior escândalo de corrupção do mundo". Segundo reportagem publicada pela Al Jazeera, a Lava Jato revelou ao mundo o Brasil como país exportador de corrupção.

A transformação da percepção também está ligada à imagem de politização da operação, segundo alguns dos analistas internacionais.

"Se é possível identificar o momento em que a luta contra a corrupção do Brasil saiu dos trilhos, foi provavelmente um episódio que os brasileiros chamam de 'o PowerPoint'", explica uma reportagem publicada na revista The Atlantic em referência à entrevista coletiva que acusava o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ser o centro do esquema de corrupção. "Parecia algo feito em cima da hora por um estagiário, mas as implicações não poderiam ser mais sérias", diz a reportagem.

Da acusação à prisão de Lula, o posicionamento relacionado à politização da Lava Jato ganhou força nas análises internacionais. A revista The Economist, por exemplo, indicava que era preciso ir além do ex-presidente para evitar que a operação se tornasse "tendenciosa". A mesma Americas Quarterly que chamou Moro de "caça-corrupto" passou a adotar um tom mais crítico. Segundo a avaliação do editor Brian Winter, a investigação se tornou politizada, e passou a ser impossível prever onde ela iria acabar.

A percepção problemática se tornou ainda mais intensa no fim de 2018, quando Moro deixou a operação para se tornar ministro do governo de Jair Bolsonaro. A decisão do juiz passou a abrir espaço para questionamentos sobre a legitimidade e a credibilidade da Lava Jato, fortalecendo a tese de viés partidário da operação, segundo pesquisadores estrangeiros que estudam a realidade política e a questão da corrupção no Brasil.

E é assim que a operação completa cinco anos, como uma operação que mudou o Brasil e sua imagem. Elogiada por mudar a forma como o país lida com a corrupção, ela é criticada por sua politização e marcou profundamente a forma como o país é visto no exterior.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil

Sobre o Autor

Daniel Buarque é jornalista, escritor e fez mestrado sobre a imagem internacional do país pelo Brazil Institute do King's College de Londres. É autor de cinco livros, incluindo “Brazil, um país do presente - A imagem internacional do ‘país do futuro’” (Alameda Editorial) e escreveu o livreto “Brazil Now” da consultoria internacional Hall and Partners. Nascido no Recife, escreve regularmente para o UOL e já trabalhou como editor-executivo do portal Terra, chefe de reportagem da rádio CBN, pauteiro de Mundo da Folha de S. Paulo e repórter do Valor Econômico e do G1.

Sobre o Blog

O Brasil é citado mais de 200 vezes por dia na mídia internacional. Essas reportagens e análises estrangeiras ajudam a formar o pensamento do resto do mundo a respeito do país, que tem se tornado mais conhecido e se consolidado como um ator global importante. Este blog busca compreender a imagem internacional do Brasil e a importância da reputação global do país a partir o monitoramento de tudo o que se fala sobre ele no resto do mundo, seja na mídia, na academia ou mesmo e conversas na rua. Notícias, comentários, análises, entrevistas e reportagens sobre o Brasil visto de fora.