PUBLICIDADE
Topo

Morte de indígenas projeta imagem de tensão em desenvolvimento na Amazônia

Daniel Buarque

10/12/2019 06h49

Após meses de uma cobertura internacional crítica em relação ao aumento do desmatamento da Amazônia, as tensões ligadas à floresta ganharam mais atenção estrangeira e ampliaram uma imagem negativa do país no mundo. Mesmo quem defendia o governo em meio ao aumento do desmatamento passou a apontar problemas na forma como a violência está crescendo na região.

O assassinato de dois indígenas da etnia guajajara em um ataque em de Jenipapo dos Vieiras (Maranhão) ganhou ampla repercussão internacional e tornou ainda mais evidentes as preocupações ligadas ao que está acontecendo na região da floresta.

Até mesmo o Wall Street Journal, publicação estrangeira que vem oferecendo uma cobertura mais positiva sobre o Brasil desde a posse de Jair Bolsonaro, abordou o caso com olhar crítico.

"Assassinatos no Brasil geram preocupação sobre tensões no desenvolvimento na Amazônia", diz o WSJ. Segundo o Journal, a pressão do governo para desenvolver a região da floresta está incentivando a violência crescente.

O tom impressiona porque o jornal de economia destoou de toda a cobertura da imprensa internacional sobre a Amazônia. Enquanto a mídia do resto do mundo fez uma ampla cobertura do aumento do desmatamento na Amazônia e responsabilizou Bolsonaro pela destruição da floresta, o WSJ chegou a publicar um artigo defendendo o presidente brasileiro.

Em agosto, pior momento da imagem do Brasil na imprensa estrangeira por conta das queimadas, a colunista Mary Anastasia O'Grady argumentava que os incêndios na Amazônia eram causados especialmente por secas, e que a política de Bolsonaro para o desenvolvimento econômico tinha o potencial de ajudar a floresta.

Agora, com os assassinatos dos guajajara, o WSJ vê uma conexão entre a pressão de Bolsonaro para desenvolver a Amazônia e o aumento da violência.

"Desde que assumiu o cargo em janeiro, Bolsonaro falou repetidamente sobre a necessidade de explorar a riqueza da floresta amazônica e trabalhou para facilitar o caminho para mais desenvolvimento na região. Ele disse em agosto que seu governo não reservará mais terras como reservas para grupos indígenas porque 'há muita terra para poucos índios"', relata o jornal de economia.

A publicação explica que com essa postura do governo, o desmatamento na Amazônia acelerou, e que críticos "afirmam que os esforços do governo para promover o desenvolvimento na Amazônia estão incentivando o aumento da atividade ilegal de mineração e extração de madeira, juntamente com a violência contra grupos indígenas".

O olhar crítico chama a atenção também por ganhar as páginas do jornal de economia poucos dias depois de o próprio Journal publicar uma reportagem admitindo que o otimismo com a recuperação econômica do Brasil levava mercados (e suas publicações) a ignorar polêmicas e problemas ligados ao governo. Com raras exceções, a publicação vinha ignorando a relevância de muitas das críticas à postura de Bolsonaro e focava apenas no que via como efeitos positivos para o mercado em suas proposta econômicas.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil

Sobre o Autor

Daniel Buarque vive em Londres, onde faz doutorado em relações internacionais pelo King's College London (em parceria com a USP). Jornalista e escritor, fez mestrado sobre a imagem internacional do país pelo Brazil Institute da mesma universidade inglesa. É autor do livro “Brazil, um país do presente - A imagem internacional do ‘país do futuro’” (Alameda Editorial) e do livreto “Brazil Now” da consultoria internacional Hall and Partners, além de outros quatro livros. Escreve regularmente para o UOL e para a Folha de S.Paulo, e trabalhou repórter do G1, do "Valor Econômico" e da própria Folha, além de ter sido editor-executivo do portal Terra e chefe de reportagem da rádio CBN em São Paulo.

Sobre o Blog

O Brasil é citado mais de 200 vezes por dia na mídia internacional. Essas reportagens e análises estrangeiras ajudam a formar o pensamento do resto do mundo a respeito do país, que tem se tornado mais conhecido e se consolidado como um ator global importante. Este blog busca compreender a imagem internacional do Brasil e a importância da reputação global do país a partir o monitoramento de tudo o que se fala sobre ele no resto do mundo, seja na mídia, na academia ou mesmo e conversas na rua. Notícias, comentários, análises, entrevistas e reportagens sobre o Brasil visto de fora.