Brasilianismo

Prisão não destruiu força política de Lula, segundo especialista da França

Daniel Buarque

O apoio de Luiz Inácio Lula da Silva à candidatura de Fernando Haddad à Presidência, caso o ex-presidente seja proibido de continuar candidato, pode ser suficiente para impulsionar o substituto ao segundo turno da eleição.

A avaliação é do especialista Gaspard Estrada, diretor executivo do Observatório Político da América Latina e do Caribe da universidade francesa Sciences-Po. Em entrevista ao jornal francês ''Le Figaro'', Estrada alegou que o ex-presidente Lula ainda tem muita força.

''Não se deve esquecer que, apesar de sua prisão, Lula mantém considerável capital político. Ele está muito à frente de todos nas pesquisas, em torno de 30%. Achavam que a prisão iria destruí-lo, não foi o que aconteceu'', disse.

Segundo Estrada, apesar de Haddad ainda não ter muita força política, o apoio de Lula pode levar sua votação a algo em torno de 20% dos votos, o que pode ser o suficiente para ir ao segundo turno.

O especialista disse ser pouco provável que Lula possa ser candidato, mas diz que ainda não há uma definição sobre como a Justiça vai se posicionar a este respeito. Segundo ele, entretanto, é possível considerar que a alta velocidade em que a acusação contra Lula foi julgada indica interesses políticos em sua condenação.

''Tudo aconteceu como se quisessem condená-lo o mais rápido possível para que a lei funcione. Parece que existe neste caso uma vontade política dos juízes para atuar no processo eleitoral e impedir que Lula seja candidato''.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil