Brasilianismo

Na mídia estrangeira, disputa eleitoral começa realmente após saída de Lula

Daniel Buarque

Esperado há semanas, o anúncio da desistência da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência do Brasil foi visto no exterior como o verdadeiro começo da campanha eleitoral no país.

Esta ideia estava explícita no título da reportagem da agência Associated Press, publicada por veículos como o jornal ''Washington Post'' e a rede de TV ABC: ''Corrida no Brasil começa a sério com Lula fora da chapa do partido''.

Logo após o anúncio oficial da troca de candidato a presidente pelo PT, jornais internacionais como o ''Wall Street Journal'', ''The Guardian'' e outros destacaram que, Lula “saiu do caminho”, “abandonou a corrida”, “jogou a toalha”.

Em quase todas as reportagens, a mídia estrangeira relembrou a tentativa de candidatura de Lula, condenado por corrupção, mas preferido da maioria dos eleitores, segundo pesquisas de intenção de voto. A grande dúvida a partir de agora é sobre a capacidade dele de repassar seus votos a Haddad em menos de um mês.

O ex-prefeito de São Paulo também teve sua carreira política analisada pelos imprensa internacional. Segundo o ''Financial Times'', Haddad é visto como um moderado, e tem se encontrado com investidores internacionais, mas o mercado tem uma grande rejeição à política econômica do PT.

''Advogado, economista e filósofo de São Paulo com pouco reconhecimento eleitoral fora do sul mais rico do Brasil, Haddad está entrando nas eleições mais imprevisíveis do país desde o retorno da democracia há mais de três décadas'', diz o jornal.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil