Brasilianismo

Brasil lê e ecoa distopias como ‘A Revolução dos Bichos’, diz ‘Le Monde’

Daniel Buarque

Brasil lê e ecoa distopias como 'A Revolução dos Bichos', de Orwell, diz 'Le Monde'

Um dos livros mais vendidos no Brasil, ''A Revolução dos Bichos'', de George Orwell, encontra ecos na situação política e social do país atualmente, segundo o jornal francês ''Le Monde''.

'''Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que os outros', no Brasil, país onde a grande riqueza está ao lado da extrema pobreza, a frase de Napoleão, o porco tirano do livro 'A Revolução dos Bichos', de George Orwell, encontra um novo eco'', diz a reportagem, citando as altas vendas da obra (e também de ''1984'', do mesmo autor), apesar de o país ter uma cultura pouco leitora.

Segundo o texto, alguns especialistas no mercado apontam para o governo de Donald Trump nos EUA para o aumento no interesse em distopias no Brasil, mas o ''Monde'' ressalta que o próprio Brasil vive uma situação que pode atrair mais leitores a essas obras.

''Um ano após o polêmico impeachment da presidente de esquerda Dilma Rousseff, os brasileiros assistem, desapontados e envergonhados, ao espetáculo por vezes grotesco da sua classe política'', diz.

A reportagem explica que os políticos envolvidos em escândalos frequentemente se dizem ''perseguidos'' pela justiça, o que cria um argumento fantasioso que aproxima a realidade do país da obra de Orwell.

''É sem dúvida, e sobretudo, a profunda decepção de parte do país após a esperança gerada pela eleição de Lula, em 2003, que explica a (re)leitura de 'A Revolução dos Bichos'. Depois de ter colocado no poder o 'pai dos pobres' e de ter conhecido uma redução espetacular da miséria, o país revive seus demônios –a crise econômica, a extrema violência e a arrogância dos bem-nascidos'', diz.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil