Brasilianismo

‘Financial Times’ apoia reformas em especial sobre a ‘reinvenção do Brasil’

Daniel Buarque

'Financial Times' defende reformas em reportagem especial sobre a 'reinvenção do Brasil'

O jornal de economia ''Financial Times'' publicou nesta semana uma série de reportagens especiais sobre o que chama de ''reinvenção do Brasil'', com foco nas reformas propostas pelo governo de Michel Temer e na recuperação do país após as graves crises dos últimos anos.

''O Brasil parece estar se movendo novamente. Após um 2016 cambaleante, há sinais de que a profunda recessão pode estar chegando ao fim. Apesar de protestos, o governo está tentando cortar os gastos e introduzir mudanças para garantir um futuro mais sustentável'', diz a apresentação da série de reportagens.

A página especial publicada no site do jornal reúne mais de dez reportagens sobre a situação atual do Brasil, sempre com um ponto de vista ligado às finanças e a uma defesa das reformas propostas pelo governo.

''Reformas encerram três anos de tumulto e recessão no Brasil'', diz um dos textos, que diz que o governo está enfrentando problemas difíceis, mas que o mercado está animado com as perspectivas do país.

A publicação em seguida traz um perfil do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que se compromete em fazer cortes impopulares, e outro do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que defende a tese de que a economia brasileira vai se recuperar já neste ano.

Um outro texto dá voz ao mercado, avaliando medidas possíveis a serem tomadas pelo governo Temer para aproveitar a possível virada da percepção a respeito do país.

Apesar de tratar repetidas vezes das denúncias de corrupção, o ''FT'' indica que a Lava Jato lançou no Brasil uma ''revolução de transparência'', e que ela pode mudar a forma como o Brasil combate os desvios públicos.

O tom geral da cobertura especial sobre o Brasil é bastante positivo para o governo, indicando otimismo em relação ao país. Um dos poucos textos mais críticos, entretanto, trata da questão política e da insatisfação popular com todo o quadro atual do Brasil.

''Escândalos aumentaram as chances de pessoas de fora da política ganharem a eleição de 2018'', diz o subtítulo do texto. A reportagem trata dos protestos registrados no país desde 2013 e da frustração generalizada no país sob escândalos sucessivos de corrupção.

''Os escândalos minaram o pouco de fé que os brasileiros tinham em políticos tradicionais. Todos os grandes partidos políticos, três ex-presidentes e a maioria dos principais candidatos na eleição de 2018 foram manchados'', explica.

Não é a primeira vez que o ''FT'' defende as reformas propostas por Temer e o legado da Operação Lava Jato. Várias reportagens publicadas de forma isolada já davam este tom editorial favorável ao atual governo. Este posicionamento pode se explicar pelo direcionamento editorial da publicação, que é voltada ao público de finanças, normalmente favorável a medidas de austeridade como as propostas por Temer.

Apesar de não haver um estudo especificamente sobre a cobertura do jornal, é fácil comparar a linha editorial dele com a de outra publicação internacional de economia, a revista ''The Economist'', que vem igualmente publicando reportagens defendendo as reformas do governo.

O caso da ''Economist'' já foi analisado de forma detalhada por uma pesquisa de doutorado defendida na Universidade Federal de São Carlos. O estudo apresentado pela socióloga Camila Maria Risso Sales mostrou que a cobertura que a revista faz sobre o Brasil oscila com a política econômica do país, sempre apoiando posturas mais liberais, independente do que aconteça na economia brasileira.

Siga o blog Brasilianismo no Facebook para acompanhar as notícias sobre a imagem internacional do Brasil